Alopecia Androgenética

O que é a Alopecia Androgenética?

Alopecia androgenética, ou calvície, é uma forma de queda de cabelos que é determinada geneticamente, ou seja, a pessoa já nasce com uma pré disposição para a calvice.

É relativamente frequente na população. Homens e mulheres podem ser acometidos pelo problema, que apesar de se iniciar na adolescência, só é aparente após algum tempo, por volta dos 40 ou 50 anos.

Apesar do termo “andro” se referir ao hormônio masculino, na maioria das vezes os níveis hormonais se mostram normais nos exames de sangue.

A doença se desenvolve desde a adolescência, quando o estímulo hormonal aparece e faz com que, em cada ciclo do cabelo, os fios venham progressivamente mais finos.

 

Quais os sintomas da Alopecia Androgenética?

A queixa mais frequente é a de afinamento dos fios. Os cabelos ficam ralos e, progressivamente, o couro cabeludo mais aberto.

Nas mulheres, a região central é mais acometida, pode haver associação com irregularidade menstrual, acne, obesidade e aumento de pelos no corpo.

No entanto, em geral, são sintomas discretos. Nos homens, as áreas mais abertas são a coroa e a região frontal (entradas).

 

Como prevenir a Alopecia Androgenética?

Alopecia androgenética é uma doença genética, mas alguns fatores podem piorar o problema, como, por exemplo, a menopausa e o uso de suplementação de hormônios masculinos.

Exames genéticos podem identificar os pacientes com maior risco de desenvolver a doença. Entretanto, não há como evitar totalmente o desenvolvimento da alopecia sem o tratamento adequado.

 

Quais os tratamentos para Alopecia Androgenética?

O objetivo do tratamento é estacionar o processo e recuperar parte da perda. A Bio Renew : Clínica de Tricologia em Brasília possui protocolos de terapia capilar que auxiliam na interrupção da queda capilar e na estimulação do crescimento de novos fios.

Vale ressaltar que cada casa é único e pode responder com sucesso ou não aos tratamentos. O importante é buscar um diagnostico precoce e iniciar imediatamente o tratamento.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia - https://www.sbd.org.br/dermatologia/cabelo/doencas-e-problemas/